Tratamento Proposto para HBP

10/09/2008 23:57

Cada paciente tem suas particularidades, nenhum tratamento é roteiro . Consulte um especialista!!

 

Tratamento Convencional

O tratamento convencional é escolhido de acordo com o caso e inclui

Acompanhamento

Nos casos em que a prostata tenha sofrido apenas um pequeno aumento de volume, pode-se optar por uma observação cuidadosa, onde apenas se acompanha a evolução do caso através de avaliações periódicas, já que, nesta condição, em até um terço dos casos os sintomas podem vir a desaparecer.

Medicamentos

Alfabloqueadores, (HYTRIN, CARDURAN, FLOMAX) que relaxam a musculatura da prostata e facilitam a emissão da urina, porém não resolvem o problema pois a próstata continua crescendo, além de apresentar efeitos colaterais, tais como: dor de cabeça, tonturas e cansaço.

Finasterida (PROSCAR, PROPECIA), que diminui parcialmente o tamanho da prostata porém, por inibir a ação do hormônio masculino, provoca uma diminuição do desejo sexual, dificuldade em obter ereções e problemas ejaculatórios.

Procedimentos não cirúrgicos

Termoterapia transuretral por microondas em 1996 o FDA americano aprovou um dispositivo chamado de Prostaton o qual utiliza microondas para aquecer e destruir o excesso de tecido prostatico. O prostaton envia, através de um cateter, microondas controladas por computador para queimar partes selecionadas da prostata. Um sistema de resfriamento protege o trato urinário durante o proceso. Esse tratamento não cura a HBP, porém reduz os problemas urinários, exceto no que diz respeito ao esvaziamento incompleto da bexiga.

TUNA também aprovado pelo FDA em 1996. Esse sistema utiliza agulhas para enviar energia de radiofrequencia de baixo nível para uma região predeterminada da prostata. Um dispositivo protege o trato urinário durante o procedimento. Esse sistema melhora o fluxo urinário com menos efeitos colaterais do que a RTUP.

Cirurgias

RTUP (ressecação transuretral da prostata) e EVAP (eletrovaporização da prostata). Em ambos os casos, introduz-se um tubo pela uretra e corta-se a prostata em pequenos pedaços os quais são posteriormente aspirados (RTUP) ou faz-se o corte a laser (EVAP).

Prostatectomia a ceu aberto. É uma cirurgia convencional, a partir de um corte no baixo ventre; apresenta mais riscos que a RTUP.

Todas as cirurgias para HBP não retiram completamente a próstata; apenas o "miolo", deixando a cápsula (casca) intacta, o que não garante a solução definitiva dos problemas com a próstata, pois o câncer pode se desenvolver a partir da cápsula. Além do mais é comum a ocorrência de ejaculação retrógrada após o tratamento cirúrgico da HBP; trata-se da não expulsão do sêmen no momento do orgasmo, e sim misturado com a urina no ato da micção. Vide mais informações no tópico Cirurgia

 

Tratamento Alternativo/Complementar

Fitoterapia

As plantas medicinais vêm sendo casa vez mais usadas no tratamento da HBP. Na Europa as terapêuticas de origem vegetal também são amplas e uma grande parte dos tratamentos disponíveis para HBP são fitoterápicos. Na Alemanha especificamente, mais de 50% dos urologistas preferem agentes de origem vegetal em lugar de produtos de origem sintética no tratamento de HPB

Os principais fitoterápicos utilizados no tratamento da HBP são os seguintes:

Saw Palmetto e Urtiga O saw palmetto(Serenoa repens, Sabal Serrulata) tem obtido destaque mundial no tratamento médico da Hiperplasia Benigna da Próstata graças aos numerosos trabalhos científicos realizados nos Estados Unidos e Europa, que comprovaram sua eficácia e segurança. (1) (2) (3) (4) (5) (6)

O extrato do saw palmetto previne a conversão de testosterona em dihidrotestosterona. Em diversos estudos o extrato de saw palmetto se mostrou eficaz no tratamento da HBP, mais ainda que o medicamento sintético finasterida (PROSCAR). Enquanto o PROSCAR leva até um ano para fazer efeito, o saw palmetto apresentou melhores resultados em um período muito mais curto. A maioria dos pacientes começou a apresentar alívio dos sintomas já no primeiro mês de tratamento com saw palmetto, sem os efeitos colaterais normalmente acarretados pelo medicamento sintético (queda de pressão arterial, dor de cabeça, tonturas, fraqueza e distúrbios sexuais)

Estudos científicos indicam que a urtiga (urtica dioica), em combinação com outras ervas, principalmente o saw palmetto, pode ser um tratamento eficaz da HBP, aliviando os sintomas urinários (redução do fluxo urinário, esvaziamento incompleto da bexiga, gotejamento no final da micção, aumento do número de micções etc). Estudos feitos em laboratório demonstraram que a urtiga pode ser comparada à finasterida na redução do crescimento de células prostáticas. (1) (7)

Pygeum (Pygeum africanum) Análises químicas e estudos farmacológicos indicam que o extrato do pygeum possui tres categorias de princípios ativos: os fitosterois, inclusive o beta-sitosterol, apresenta efeitos anti-inflamatórios ao interferir com a formação de prostaglandinas pro-inflamatórias que tendem a se acumular na prostata de homens com HBP; os terpenos pentacíclicos apresentam efeitos anti-edema e descongestionante; o ultimo grupo são esteroides que reduzem os níveis do hormônio prolactina e também bloqueiam o colesterol na próstata. (8) (9) (10) (11) (12)

Polen e Propolis Diversos estudos e testes comprovaram que o extrato de polen tem efeito profilático no tratamento de adenomas e inflamações da próstata. O pólen é rico em hormônios vegetais e enzimas que atuam sobre a próstata. Sabe-se que os hormônios vegetais não tem efeitos colaterais e tem a surpreendente faculdade de regular as glândulas endócrinas. (13) (14) (15) (16) (17) (18)

O Propolis contem mais de 200 compostos quimicos já idenificados. Estes compostos possuem diversas atividades fisiológicas já comprovadas cientificamente, tais como antimicrobiana, antiinflamatória, antioxidante, antiviral e antitumoral. A propolis reduz a inflamação crônica associada à HBP.

Veja no link o depoimento de uma pessoa que controlou sua HBP com o uso de propolis e polen http://igspot.ig.com.br/prostatasaudavel/


Uva ursi (Arctostaphylos uva-ursi) Esta erva medicinal não atua diretamente na HBP mas combate as infecções das vias urinárias normalmente decorrentes da HBP, cálculos urinários e inflamações crônicas renais, além de inflamações na boca, garganta, intestinos e órgãos genitais, inflamações crônicas da próstata e uretra, diarréias e disenterias, cistites e catarros vesicais.


Prevenção

Embora não exista uma fórmula que possa garantir que você não irá desenvolver HBP ou câncer de próstata, você pode tomar algumas medidas que irão reduzir o risco ou possivelmente atenuar o desenvolvimento da doença. Vide no tópico sobre Prevenção.

Voltar
Free Hit Counters
Web Counters